São Miguel dos Milagres: rota ecológica guarda água caribenha, fonte 'milagrosa' e passeio com peixes-boi


O Descubra o Brasil foi até São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras – duas estrelas da rota. Lá, destaque para a Praia de Lages e sua água de coloração ímpar. São Miguel dos Milagres: água caribenha e piscinas naturais em rota ecológica
A Rota Ecológica dos Milagres une uma trinca que vem atraindo muitos turistas a cidadezinhas do litoral norte de Alagoas: água caribenha, fé e preservação da natureza.
O Descubra o Brasil foi até São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras – duas estrelas da rota. Lá, destaque para a Praia de Lages e sua água de coloração ímpar. Na Praia do Patacho, o mar é calmo, a água é quente e o entardecer faz do oceano um espelho.
Na ecologia, o Santuário do Peixe-Boi, localizado no Rio Tatuamunha, acontece o encontro do turista com a natureza: mergulho no rio, passeio pelo manguezal e alguma interação com os mamíferos. Pela rota, há trabalhos de preservação de mata nativa e reflorestamento.
Quando o assunto é fé, a lenda fica por conta de uma história contada pelos nativos que envolve uma imagem de São Miguel Arcanjo, um pescador doente e uma fonte subterrânea que jorra água 24 horas.
É preciso, no entanto, ficar atento ao que diz a tábua de marés: dependendo da altura do mar em determinado dia, não é possível fazer o passeio das piscinas naturais de Milagres.
Os motivos? A segurança dos banhistas, a preservação dos corais espalhados pelas piscinas e a qualidade do passeio. Com maré alta, o efeito das águas transparentes não é o mesmo que em dias de maré beirando 00 milímetros.
No vídeo acima, confira o que há de melhor na Rota Ecológica dos Milagres.
Óleo
Manchas de óleo no litoral atingiram o Nordeste a partir do final de agosto de 2019. A substância é a mesma em todos os locais: petróleo cru. São Miguel dos Milagres foi atingida.
O governo federal diz que possíveis restrições de banho ficam a cargo dos governos estaduais e municipais. O governo de Alagoas disse que as praias estão aptas para banho, “não apresentando nenhuma constatação de contaminação em decorrência do derramamento de óleo”.
A recomendação para os turistas é checar a situação com as secretarias estaduais de Meio Ambiente antes de entrar no mar. Uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente diz que o banho em praias deve ser evitado em caso de “presença de resíduos ou despejos, sólidos ou líquidos”.
Especialistas ouvidos pelo G1 lembram que compostos do petróleo podem ser perigosos para a saúde a longo prazo. Os danos, no entanto, dependem do tempo de exposição e do contato direto com o petróleo cru.

Roberta Jaworski/G1
Coloração do mar “caribenha” chama atenção dos turistas na Praia de Lages
Celso Tavares/G1
Redes para descanso e mar “caribenho” ao fundo: paisagem da Praia de Lages, destaque na Rota dos Milagres
Celso Tavares/G1
Turista aproveita a Praia de Lages: ondas levinhas, mar de cor “caribenha” e com agitação na medida certa
Celso Tavares/G1
Turista caminha pela areia na Praia de Lages, em Porto de Pedras: balneário é destaque da Rota Ecológica dos Milagres
Celso Tavares/G1
Praia do Patacho: paraíso mais escondido, guarda águas claras, quentes e calmas
Celso Tavares/G1
Entardecer na Praia do Patacho: coqueiras, jangadas estacionadas e infraestrutura regular de comércio compõem o cenário
Celso Tavares/G1
Peixe-boi em adaptação pode ser visto por turistas que fizerem passeio pelo Rio Tatuamunha
Celso Tavares/G1
Jangadas levam turistas por passeio ecológico no Rio Tatuamunha: observação do ecossistema manguezal e de peixes-boi
Celso Tavares/G1
Rota Ecológica dos Mialgres é conhecida por abrigar um mamífero que pouco se vê em outros destinos do país: o peixe-boi
Celso Tavares/G1
Turista enche litro d’água direto da fonte de São Miguel Arcanjo: reza a lenda que a água é milagrosa
Celso Tavares/G1

Distribuição / Melhor Hoje / Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *