black Friday melhor hoje ofertas e promocoes

Alerta foi feito pela FAA enquanto guerra entre forças etíopes e rebeles se aproxima de Adis Abeba, a capital da Etiópia. EUA exortou seus cidadãos que estão no país a ‘irem embora agora’. Aviões pousam na pista do Aeroporto Internacional Bole, em Addis Abeba, capital da Etiópia, em 10 de março de 2021. A FAA, dos Estados Unidos, alertou pilotos em 17 de novembro de 2021 que aviões que operam no aeroporto podem ficar ‘direta ou indiretamente expostos a disparos de armas a partir do solo e/ou disparos terra-ar devido a confrontos contínuos “entre as forças etíopes e os combatentes da região norte de Tigré
Cara Anna/AP
Os Estados Unidos estão alertando a pilotos que aviões que operam em um dos aeroportos mais movimentados da África podem ser “direta ou indiretamente expostos a disparos de armas a partir do solo e/ou disparos terra-ar”.
O aviso foi feito pela FAA (Federal Aviation Administration, equivalente à Anac no Brasil) porque a guerra civil na Etiópia se aproxima da capital Adis Abeba, que tem um dos principais aeroportos do continente.
O parecer da FAA divulgado na quarta-feira (17) cita os “confrontos contínuos” entre as forças etíopes e os combatentes da região de Tigré, no norte do país, que já mataram milhares de pessoas em um ano de guerra.
VEJA TAMBÉM:
Guerra do Tigré completa 1 ano com milícia perto de chegar à capital da Etiópia; entenda o conflito
Governo etíope perde controle de cidade a 400 km da capital Adis Abeba para rebeldes
Etiópia: 5 curiosidades sobre o país onde o ano tem 13 meses e que nunca foi colonizado
Fumaça preta e destruição após confrontos em Mekele, na região do Tigré, em 20 de outubro de 2021
AP
Nesta semana, o governo dos EUA também aconselhou seus cidadãos que estão na Etiópia a “irem embora agora”.
Hub internacional
O aeroporto internacional de Adis Abeba é o hub internacional da Ethiopian Airlines, companhia aérea estatal que ainda hoje é um símbolo do antigo status do país como uma das economias de maior crescimento do mundo.
antes da guerra. A companhia aérea tornou-se nos últimos anos a maior e mais bem administrada transportadora da África, transformando Adis Abeba na porta de entrada para o continente. Adis Abeba é também a capital diplomática do continente como sede da União Africana.
A assessoria da FAA não registra relatos de interrupções no Aeroporto Internacional de Bole e “nenhuma indicação de intenção de ameaçar a aviação civil”, mas afirma que o risco de aproximação e embarque de aviões pode aumentar se os caças Tigray cercarem a capital.
Os caças Tigray “provavelmente possuem uma variedade de armas com capacidade antiaérea, incluindo granadas propelidas por foguete, armas antitanque, artilharia antiaérea de baixo calibre e sistemas de defesa aérea portáteis” ou MANPADS, que podem alcançar até 25.000 pés acima do nível do solo, diz o assessor da FAA.
Em reconhecimento da importância do aeroporto de Bole para viagens de ida para o continente africano e além, a Ministra da África do Reino Unido, Vicky Ford, disse na semana passada aos repórteres que a Grã-Bretanha agora desaconselha todas as viagens para a Etiópia, exceto o aeroporto, para partidas e transferências.
As forças Tigray, que há muito dominavam o governo nacional antes de o atual primeiro-ministro Abiy Ahmed assumir o cargo em 2018, abordaram Adis Abeba nas últimas semanas e se juntaram a outro grupo armado, o Exército de Libertação Oromo, com o objetivo de pressionar Abiy a se retirar.
As forças de Tigray também dizem que estão pressionando o governo da Etiópia para suspender um bloqueio de meses na região de Tigray, que inclui uma restrição do governo etíope aos voos sobre Tigray. Nenhum alimento, remédio ou outra ajuda humanitária entrou em Tigray, uma região com cerca de 6 milhões de habitantes, por mais de um mês desde que os militares da Etiópia retomaram os ataques aéreos pela primeira vez desde junho.
Os esforços de um enviado da UA, o ex-presidente nigeriano Olesegun Obasanjo, e do enviado dos EUA, Jeffrey Feltman, continuam a incitar os lados em conflito a concordar com um cessar-fogo e negociações.
A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Etiópia, Dina Mufti, disse a repórteres na quinta-feira que tanto Obasanjo quanto Feltman estão na Etiópia, mas ele não deu detalhes.
A Ethiopian Airlines chamou a atenção do mundo em 2019, quando a queda de um Boeing 737 Max logo após a decolagem de Addis Abeba matou 157 pessoas. Isso e a queda anterior de outro 737 Max novinho em folha na costa da Indonésia tiveram consequências de longo alcance para a indústria aeronáutica, pois ocasionou o encalhe dos jatos Boeing 737 Max até o final do ano passado.

Melhor Carteira Bitcoins conta gratis

binance-wallet-bitcoin-brasil

Distribuição / Melhor Hoje / Fonte Google News