black Friday melhor hoje ofertas e promocoes

Peng Shuai, uma das maiores estrelas do esporte na China, acusou um importante político, o ex-vice-premiê Zhang Gaoli, de forçá-la a fazer sexo. E-mail atribuído a ela agora nega o crime, A tenista chinesa Peng Shuai comemora após derrotar a americana Venus Williams na primeira rodada do China Open de tênis, em Pequim, em 3 de outubro de 2016. Uma das maiores estrelas do tênis da China, Peng acusou um importante político, o ex-vice-premiê Zhang Gaoli, de forçá-la a fazer sexo, publicou em redes sociais detalhes do relacionamento entre os dois e foi censurada.
Fred Dufour/AFP
Uma das maiores estrelas do tênis da China, Peng Shuai está desaparecida desde que acusou um importante político do Partido Comunista chinês, o ex-vice-premiê Zhang Gaoli, de forçá-la a manter relações sexuais.
A preocupação aumentou após a imprensa estatal chinesa divulgar um e-mail atribuído à tenista em que ela negava as próprias acusações contra Gaoli, que foi um dos políticos mais poderosos da China entre 2013 e 2018, quando ocupou o cargo de vice-premiê.
Um trecho da mensagem dizia: “Não estou sumida nem estou insegura. Só tenho descansado em casa e está tudo bem”. Ela foi enviada ao chefe da WTA (Associação de Tênis Feminino, na sigla em inglês), Steve Simon, que expressou dúvida sobre o seu conteúdo.
“A declaração divulgada hoje pela mídia estatal chinesa sobre Peng Shuai apenas levanta minhas preocupações quanto à sua segurança e paradeiro”, disse Simon em um comunicado por escrito.
“Tenho dificuldade em acreditar que Peng Shuai realmente escreveu o e-mail que recebemos ou acredita no que está sendo atribuído a ela”, declarou o chefe da WTA.
VEJA TAMBÉM:
Yahoo e Fortnite deixam a China devido à pressão e censura sobre o setor digital
Microsoft vai fechar LinkedIn na China e criar versão sem posts de usuários
A então diretora do FMI, Christine Lagarde. aplaude discurso do então vice-premiê chinês, Zhang Gaoli, na abertura do Fórum de Desenvolvimento da China, em 2015
Jason Lee/Reuters
Shuai foi líder do ranking mundial de duplas e campeã em Wimbledon e em Roland Garros, dois dos quatros torneios mais importantes do mundo. Ela fez o relato em sua conta oficial na rede social Weibo, o “Twitter chinês”, e foi censurada.
O Twitter e outras redes sociais “ocidentais” como o Facebook e o Instagram são bloqueados na China, e o desaparecimento de informações que desagradam ao governo é recorrente no país.
A publicação da tenista foi excluída cerca de meia hora após ter sido feita — assim como todas as referências ao caso. Desde então, Shuai não foi mais vista nem fez qualquer outra publicação ou declaração pública, alarmando a comunidade global do tênis.
Governo chinês se cala
O governo chinês ainda não comentou a alegação inicial da tenista., que foi feita no momento em que o país se prepara para sediar as Olimpíadas de Inverno de Pequim, em fevereiro.
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Zhao Lijian, foi questionado nesta quinta-feira (18) sobre o paradeiro de Shuai e se a China está preocupada que o caso possa afetar a imagem do país antes das Olimpíadas.
“Minha resposta é muito simples: este não é um assunto de relações exteriores e não estou ciente da situação que você mencionou”, afirmou o porta-voz.
VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Melhor Carteira Bitcoins conta gratis

binance-wallet-bitcoin-brasil

Distribuição / Melhor Hoje / Fonte Google News