black Friday melhor hoje ofertas e promocoes

Melhor Carteira Bitcoins conta gratis

binance-wallet-bitcoin-brasil

Cerca de 70 mil pessoas devem receber o reforço no dia 19 de dezembro
Divulgação/Prefeitura de Botucatu

Os moradores da cidade de Botucatu (SP) receberão a aplicação em massa da terceira dose da vacina contra a Covid-19 no próximo dia 19 de dezembro, dando sequência ao estudo da Oxford que avalia a eficácia da imunização em uma mesma comunidade.

Segundo a prefeitura do município do interior paulista, a vacinação deverá ocorrer nos mesmos formatos de aplicação da primeira e da segunda doses, e a expectativa é que 70 mil adultos, entre 18 e 59 anos, sejam imunizados na mesma data.

Veja também
  • Em SP, 41% dos jovens pensaram em deixar estudos na pandemia

    Educação

    Em SP, 41% dos jovens pensaram em deixar estudos na pandemia

  • Público com mais de 18 anos segue recebendo dose adicional em SP

    São Paulo

    Público com mais de 18 anos segue recebendo dose adicional em SP

  • Cidade de São Paulo torna telemedicina permanente no SUS

    São Paulo

    Cidade de São Paulo torna telemedicina permanente no SUS

Diferentemente das primeiras aplicações, quando a vacina utilizada havia sido a AstraZeneca, ainda não se sabe se desta vez será utilizada apenas a Pfizer ou os dois imunizantes.

Até o momento, 138.043 pessoas já se imunizaram ao menos com a primeira dose na cidade, sendo que 128.766 já concluíram o esquema vacinal, ou 87% da população. O município, segundo o Governo do Estado de São Paulo, tem 148.130 habitantes.

“Diferentemente de outros municípios em que esse prazo para a dose de reforço vai vencer ao longo dos próximos dois ou três meses de forma gradual, aqui em Botucatu, pelas características do estudo clínico, um grande contingente de munícipes, em torno de 70 mil, completará esse prazo para receber a dose de reforço; portanto, será necessária uma campanha de vacinação”, disse o secretário municipal da Saúde, André Spadaro, que pediu adesão maciça daqueles que tomaram a segunda dose em massa em 8 ou 14 de agosto.

O principal motivo para essa imunização, segundo ele, é a preocupação com a nova onda do novo coronavírus que atinge a Europa e alguns países da Ásia, além dos Estados Unidos.

Leia também
  • Em SP, Corrida da Esperança marca retomada dos eventos esportivos

  • Ao menos 70 cidades do interior de SP cancelam Carnaval em 2022

“Existe um risco grande de que eventualmente o Brasil nos próximos meses venha a ter um aumento de casos. E, para que não tenhamos um aumento de internações, casos graves e óbitos, é fundamental que a população siga a orientação do Ministério da Saúde e procure a dose de reforço e os faltosos procurem a segunda dose para ter o esquema vacinal completo”, concluiu Spadaro.

Estudo da Oxford aplicou vacina em massa em Botucatu

undefined

Semelhante ao Projeto S, que vacinou 97% da população adulta de Serrana (SP) com a CoronaVac, o projeto da Fiocruz imunizou 66 mil habitantes de Botucatu em 16 de maio e outros 5 mil uma semana depois, no dia 22. A segunda dose para esses públicos, como se previa no calendário, ocorreu na primeira quinzena de agosto.

O restante da população recebeu as aplicações gradativamente, de acordo com o calendário do estado. Neste momento, a cidade tem quase 87% de sua população total com a imunização completa; 24.562 já receberam a terceira dose. 

O objetivo da pesquisa é descobrir a efetividade da vacina da Oxford após a primeira dose, após a segunda e sobre cada cepa circulante, o impacto da imunização em massa na transmissibilidade e o chamado efeito rebanho.

Distribuição / Melhor Hoje / Fonte Google News